Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fino Recorte

Havia uma frase catita mas que, por razões de força maior, não pôde comparecer. Faz de conta que isto é um blog de comédia.

Fino Recorte

Havia uma frase catita mas que, por razões de força maior, não pôde comparecer. Faz de conta que isto é um blog de comédia.


Roberto Gamito

10.11.20

Citando Antístenes, o princípio da sabedoria é desaprender o que é inútil. Partindo desta ideia e correndo em direcção ao abismo em passo de imbecil, não será a sabedoria outra espécie de memória? Uma depuração contínua, uma destilação, se quiserem. Uma vida a garimpar para acabar com as mãos vazias. E sem querer alcançámos o Oriente.
 
O aspecto mais notável da ilha é a sua fauna. Animais noutros locais impossíveis prosperam ali sem entraves. Puxar fogo ao quartel das fórmulas, uma perspectiva que consideramos simultaneamente assustadora e condenada ao fracasso.
 
Na poesia, os dias pretéritos tornam-se comestíveis, embora a raiar o venenoso, e as profecias podem espremer-se para delas vermos extraído o desafio. Seja como for, continua tudo na mesma — falhas crónicas no abastecimento de todo o tipo de alegrias.
 
Aos poucos, fui ludibriado de forma a apequenar-me, pelo que hoje sou inexcedivelmente minúsculo na minha vontade e nos meus passos. Os gritos, reais e inventados, encorajam-nos a correr mais depressa, a velocidade convida-nos — obriga-nos — à desfiguração. Doravante somos apenas um rasto de sangue deixado pelo cinético capitalismo, esse psicopata tentacular. Um longo traço de sangue putrefacto numa estrada onde outrora jornadeávamos em busca de um simulacro de paraíso.
 
Para compensar a pequenez de cabeça e o miolo intermitente, usamos, quais personagens de Oz, cabeçorras de papelão em cima da nossa. Cada um de nós adopta um estratagema para parecer mais do que é aos olhos dos outros. Dentro da cabeçorra de papelão, a cabecinha mínima, vazia de pensamentos e passos inéditos.
 
Infelizmente para a ciência — mas felizmente para a comédia —, essas cabeçorras de papelão não nos vão abandonar tão cedo. O país dos bizarros.
 
 

Oz-país_dos_bizarros.jpg

 

Pág. 3/3

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

subscrever feeds

Sigam-me

Partilhem o blog