Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fino Recorte

Havia uma frase catita mas que, por razões de força maior, não pôde comparecer. Faz de conta que isto é um blog de comédia.

Fino Recorte

Havia uma frase catita mas que, por razões de força maior, não pôde comparecer. Faz de conta que isto é um blog de comédia.


Roberto Gamito

02.06.21

No que estará uma pessoa a pensar quando nos observa demoradamente numa pastelaria? Será o mundo tão parco em maravilhas e episódios polpudos que o observador não tem outra escapatória senão mirar, embasbacado, um animal que come descansadamente um rissol?

Se a vistoria ocular se demorar mais que a conta, começamos a sentir-nos como animais no zoo. Indagamos: “Será que sou incapaz de comer um rissol de camarão em condições a ponto de parecer um excêntrico? Será que um camarão enfezado se hospedou no meu bigode? Será que o observador encontrou finalmente a criatura mais falada nas redondezas — o predador atabalhoado de rissóis?”
São o tipo de questões que me assolam nessas alturas.
Em todo o caso, o facto de me sentir observado interfere no prazer que é papar um rissol, que é como quem diz, o rissol deixa de saber bem.

Aos poucos, altero o meu comportamento. Diminuo as minhas dentadas a ponto de parecer um pisco. Resultado: se o olhar persistir, levo 30 minutos a comê-lo em vez dos habituais 30 segundinhos. Se me sentir frágil, sou rapaz para pedir faca e garfo. Um ultraje — dirão os taberneiros deste país.

Tento, segundo os meus cânones, ser a pessoa mais sofisticada possível de molde a não parecer bizarro. Deparo-me com outra questiúncula: “Poderei eu parecer sofisticado ao comer um rissol de camarão quando apresento como farpela uma t-shirt da Repsol e um boné da vodafone? Não respondam, a resposta pode fragilizar-me ainda mais.

Para aliviar o nervosismo, pergunto ao dono do estaminé quantos rissóis costuma fazer por dia. Responde-me um mísero um. A resposta surge-me como uma revelação — aquele rissol só existe por minha causa. Pelos vistos, não há nas redondezas outro animal que se interesse por rissóis, ou melhor, por este rissol em especial. Tal põe-me numa posição delicada. Convencera-me de que era um connaisseur de rissóis e no fim de contas dá-se caso de ser a pessoa com menos critério da vila no tocante a salgados. Será o pior rissol do mundo? Espero que não, caso contrário daria um grande desgosto à minha avó.

O único rissol na pastelaria, Roberto Gamito

 

Pág. 4/4

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

subscrever feeds

Sigam-me

Partilhem o blog