Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fino Recorte

Havia uma frase catita mas que, por razões de força maior, não pôde comparecer. Faz de conta que isto é um blog de comédia.

Fino Recorte

Havia uma frase catita mas que, por razões de força maior, não pôde comparecer. Faz de conta que isto é um blog de comédia.


Roberto Gamito

29.12.21

Afirmam-se curiosos no tocante ao tumulto nos lençóis, aficcionados da chapada nas nádegas e diletantes quanto às várias maneiras de levar a mulher ao céu; em resumo, acreditam deter o segredo da levitação orgásmica. Não preciso de me dar ao trabalho de pormenorizar o equívoco: o homem chafurda neste absurdo para afastar os parasitas da dúvida. A meu ver, levar a mulher ao céu é um empreendimento ambicioso. Proponho viagens mais modestas, a saber: levar a mulher até à vila, levar a mulher até ao talho, levar a mulher às compras.

Não hesito em asseverar que o pau humilde é um magro contributo para a felicidade da fêmea ou machos apreciadores de tal iguaria, porém, a ser verdade que a tal viagem ao céu se concretiza, temos de repensar o homem e seu pequenote.

Em chegando ao céu, a pila converte-se numa espécie de astronauta. O preservativo, apodado de capacete pelos mais velhos, ganha novas acepções. Um pequeno passo para o Homem, um grande passo para o pénis. Mas a verdade é que, ainda que objectáveis os méritos de certos nabos fanfarrões, relativamente as suas alegadas prestações, estamos a falar, por norma, de pénis sem estudos. E aí reside o motivo do falhanço. Se a verga é inábil em catapultar a mulher até ao Cosmos dos orgasmos verdadeiros — que os há, já li sobre isso —, tal se deve ao seu magro currículo. Ao contrário do astronauta, o qual é um indivíduo que leva os estudos a sério, dado que no espaço é a diferença entre sobreviver ou morrer, o pénis o mais que alcança é o diploma da escola da vida. Afortunadamente, a cona não é tão criteriosa quanto um foguete: não liga ao currículo. De contrário, o homem teria de devotar a sua vida ao estudo antes de poder ingressar nela.

E nisso a cona é amiga: é uma personagem disponível a dar a mão aos desgraçados, aos astronautas sem qualidades. Por conseguinte, há-de extrair o máximo que puder de um aluno medíocre. Tudo para bem da ciência e do futuro da espécie — e com um orçamento bem menor que o da NASA.

Mulher: O que fazer com os homens que não nos levam a lado nenhum?
Eu: É atirá-los ao mar e deixar os tubarões tratarem do resto.


astronauta sem qualidades

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

subscrever feeds

Sigam-me

Partilhem o blog