Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fino Recorte

Havia uma frase catita mas que, por razões de força maior, não pôde comparecer. Faz de conta que isto é um blog de comédia.

Fino Recorte

Havia uma frase catita mas que, por razões de força maior, não pôde comparecer. Faz de conta que isto é um blog de comédia.


Roberto Gamito

30.04.21

É torturado em perfume numa cama de memórias. E nelas nos deitamos como em cruzes. Isolado, apartado das convenções, o eremita cozinha o jejum da cintura para baixo. Corta!

Opondo a barreira da convicção contra o rio caudaloso dos dias, as ficções, umas levadas em ombros, outras em estandartes. Eis que sobraram os esqueletos das ideologias pretéritas. É preciso ter dente treinado se o fito é consumi-las. Corta!

No labirinto da mente, imola-se uma ideia desesperada. A sua correria pelo dédalo alumia os cotovelos do mito. O rosto da morte é revelado nessa fuga vã. Corta!

Foste perdendo o gume, nem pode dizer-se que te apanhe de surpresa, concordar com tudo, seja veneno ou perfume, carne ou osso. Personagem, tu reages às coisas de modo bastante bizarro. Peço desculpa, não sobreviverás à carnificina das emendas. Corta!

Agora atraiçoas o menino que foste. Tornado mestre na arte da guerrilha, apunhalaste sonho a sonho a tua vida. Corta!

És já incapaz de musculada dança. Precipício e palco soam-te a sinónimos. Orlas o gume como um desvairado, apoucando a carne.
Cumpridas as leituras, o desembarque de um novo homem. Olhos regressados da faina. Homem a braços com um cachalote. Já foi feito. Corta!

Com ou sem alegria, a escrita é um mausoléu. O rescaldo, o somatório de cavaleiros da triste figura. Que bela alhada em que nos metemos. Os moinhos golearam-nos. Corta!

A ideia que tínhamos do pássaro
desmorona-se ao vê-lo empalhado.

Estou grato pela oportunidade de frequentar este filme. Cachalotes dão à costa como se o oceano os regurgitasse. Não me atrapalhem, tenho uma morte à espera. Que cérebro é este por detrás destas palavras? Que mão é esta por detrás da mão?
A língua, mais rebelde que o costume, treina a aterragem na folha no arame farpado. Corta!

Segundo os meus cálculos, a vida ia a meio. Estava lá, mas morta qual cerveja sem gás. É tempo de correr além do casulo do eu e dar aos passos um desígnio. Precisávamos de um período para recobrar o fôlego. Corta!

Submissos, comemos aquilo que não nos dão. Leigos cheios de tiques de intelectual, intelectuais postiços, a última coreografia do pó. Apesar disso, ainda crente na arte. Corta!

Lanço as mulheres que fui incapaz de amar ao fogo crematório a fim de desimpedir os corredores da memória. Eu vi-me extinguir às portas do paraíso. Grande parte de mim foi incinerada por ideias suicidas. A depressão, essa, escorraçou-me da minha jornada. Calcorreei os bastidores de todos os cadafalsos à procura de uma morte que me servisse. Quão imbecil me tornei deste então. Corta!

De relações cortadas com o mundo, careço de forças para propor uma definição alternativa para o amor. Não obstante, tenho as minhas lutas. Aliás, estou disponível para pugnar as altas escaramuças intelectuais. Com efeito, sou o que — ou quem — precisarem como adversário. Corta!

Se é realidade palpável ou construção, não me questionem. Não tardará o ajuste de contas. Admiro qualquer forma de castigo divino. Não escarneço nem desmonto a cruz. Noutros tempos mais inocentes, apossar-me-ia dos atalhos cozinhados pela indignação, tentando o elevador da superioridade postiça. Tudo obedece ao faz de conta. Crianças calejadas na burla. Corta!

Eu e ela? Pouco nos separava de sermos carrasco e vítima.

 

Brincadeiras na cruz, Roberto Gamito

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Sigam-me

Partilhem o blog