Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fino Recorte

Havia uma frase catita mas que, por razões de força maior, não pôde comparecer. Faz de conta que isto é um blog de comédia.

Fino Recorte

Havia uma frase catita mas que, por razões de força maior, não pôde comparecer. Faz de conta que isto é um blog de comédia.


Roberto Gamito

06.12.20

O assobio é, provavelmente, a manifestação mais indubitável de alegria. Não há, à excepção dos loucos, quem consiga assobiar e estar triste ao mesmo tempo. Se, ao dialogarmos com alguém que nos é próximo pararmos o assobio para falar e perdermos a vontade de o retomar, o melhor é assumir que a alegria nos abandonou.

O outro espatifou-nos a boa-disposição. Caso aconteça com alguma frequência, devemos estar preparados para intervir com um “não me interrompas o assobio, deixa-me ser feliz”.
Não precisamos de nos sentir culpados pelo outro não ter alcançado um patamar de alegria que o permita assobiar.

Mais humanamente, o gatuno de assobios está a pedir ajuda. Sob a sua negatividade implacável e tentacular, de uma forma deturpada, selvagem e amiúde enlouquecedora, implora por ser ouvido. A discussão pode principiar abruptamente.

— Não há motivos para assobiar.
— Quem és tu para me dizer quando há motivos para assobiar?
— A pessoa que vive contigo, mais precisamente a tua mulher.
— Cara colega de casa, estou a homenagear as pequenas coisas da vida. A vida é demasiado bela para não ser celebrada.
— Dá-me exemplos.
— Ter encontrado uma pessoa com quem passar o resto da minha vida. Uma casa estupenda. Os dois filhos.
— Estás equivocado em toda a largura da tua resposta. Nem eu sou essa pessoa, só de olhar para ti dá-me vómitos, nem a casa é assim tão espectacular. Onde vivemos pouco dista de uma barraca. Os cães não são teus filhos.
— Sinto que me queres dizer alguma coisa. Queres falar?
— Estás a ver coisas onde elas não existem, porém acho um exagero essa manifestação de contentamento. O mundo não está para grandes sorrisos.
— Tens motivos para estar triste?
— Mas agora é preciso motivos? Aliás, nem estou triste, estou apenas a constatar factos. Casei-me com um palerma.

Cessa o assobio e o outro, que iniciou a discussão com o tom azedo, ri-se pela primeira vez. E começa a assobiar.

Felicidade flutuante, amigos, felicidade flutuante.

 

assobio, Roberto Gamito

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Sigam-me

Partilhem o blog